SITE TRIBUNA
SITE TRIBUNA

Ao falhar, Bahia toma gol no último lance e cede empate contra o Londrina fora de casa




Levando em consideração o roteiro que se desenhou durante os 90 minutos no Estádio do Café, o empate em 1×1 entre Bahia e Londrina não surpreendeu. A forma como aconteceu, sim. O tricolor ganhava o jogo até os 49 minutos do segundo tempo, quando o volante Patrick, em um ato de “desorientação”, estava livre e mandou a bola para escanteio. Na cobrança, o time da casa empatou com um gol de cabeça e tirou a chance do Bahia se firmar como 2º colocado da Série B.

Com o resultado, o Esquadrão chegou a 44 pontos e pode ser ultrapassado na continuação da rodada pelo Grêmio, que tem 43, e pelo Vasco, com 42. Eles enfrentam Cruzeiro e CSA, respectivamente.




Ao longo de toda a partida, o Bahia deu três chutes ao gol. Dois deles no mesmo lance com Matheus Davó, que marcou o primeiro gol do jogo. O atacante completou 23 anos de idade nesta terça-feira (16) e teve a oportunidade de voltar ao time titular de Enderson Moreira.

Aos 18 minutos da primeira etapa, após um começo de jogo muito truncado, a equipe protagonizou um dos poucos lances de real perigo para a meta do goleiro paranaense durante toda a partida. Após cobrança de escanteio do Londrina, a bola foi afastada e Vitor Jacaré ganhou a dividida na sobra. O camisa 29 arrancou pela intermediária e passou a bola na diagonal para Davó.

O atacante entrou livre em profundidade, dominou bem a bola, mas pecou na hora da finalização. O chute saiu em cima do goleiro Matheus Nogueira mas, para a sorte do aniversariante, ela voltou na sua canela e retomou a direção do gol, até entrar mansamente nas redes.

O resultado poderia ter sido pior se não fosse o gol bem anulado do Londrina. Em troca de passes na frente da área, Gegê cruza para Caprini que cabeceia para o gol. Mas o meia estava adiantado e a infração foi assinalada pelo bandeira.

Dá pra dizer que os bons momentos do Bahia cessaram aí. Dali em diante a equipe teve muita dificuldade de executar suas ações ofensivas e, mesmo com uma formação mais encorpada no meio-campo, com um 4-4-2, não conseguiu ter a posse de bola nem ser eficiente nas transições.

O primeiro tempo terminou com oito finalizações para os mandantes, sendo a maioria delas de fora da área e sem muito perigo para a meta de Danilo Fernandes, e apenas duas para o Bahia. As duas do gol de Matheus Davó.

Lances do jogo

Para falar dos lances da partida é preciso citar, além, a falta de ofensividade do Bahia ao longo do jogo e a liberdade do ataque paranaense em frente a área tricolor. Na primeira etapa, o Londrina arriscou finalizações com Caprini, muito ativo pelo lado direito do campo, em cima de Matheus Bahia, e com o atacante Douglas Coutinho, que voltou a chutas de fora da área no segundo tempo também.

Mas a finalização que levou mais perigo para Danilo Fernandes saiu de uma cobrança de falta de Gegê. O camisa 10 chutou com curva, mas foi pelo lado de fora da rede.

No segundo tempo o Tubarão seguiu com maior posse e investindo nas subidas de Caprini até a linha de fundo. Para a sorte do Bahia, o zagueiro Gabriel Xavier fez mais uma boa partida e valorizou a oportunidade no time titular. O jovem zagueiro rebateu diversas bolas cruzadas pelo adversário, tanto no alto quanto no chão.

A postura do Bahia não mudou com as alterações feitas por Enderson Moreira. Se já havia dificuldade na transição com a presença de Davó e Jacaré no ataque, elas ficaram ainda mais discretas com as entradas de Rodallega, que segue sem ter uma boa atuação em campo, e Raí Nascimento.

Emerson Santos entrou no lugar de Mugni para dar mais sustentação ao meio-campo e Ricardo Goulart também foi escolhido para sair do banco. O recém-contratado pouco tocou na bola e precisou desempenhar uma função muito mais defensiva dentro de campo, já que o Bahia tinha pouca posse de bola e construção para o ataque. Na lateral, o treinador trocou um ‘seis por meia dúzia’, quando tirou Matheus Bahia e renovou o fôlego com Luiz Henrique.

No segundo tempo o tricolor conseguiu mais uma única finalização, com Raí Nascimento, que entrou no lugar de Jacaré. Ele teve a chance de matar o jogo já nos acréscimos, mas, livre na área, parou no goleiro Matheus Nogueira. Eram 48 minutos do segundo tempo.

Pois no minuto seguinte, com os três pontos praticamente garantidos, Patrick dominou uma sobra de bola na área defensiva e escolheu afastar em direção ao escanteio. Na cobrança, Danilo Fernandes saiu mal, a bola passou, e Gabriel Santos, de cabeça, empatou. A partida nem foi reiniciada e o árbitro decretou fim de papo em Londrina: 1×1.

A próxima partida do tricolor será contra o Vasco, no dia 28, na Fonte Nova. Os ingressos já estão à venda.

FICHA TÉCNICA

Londrina 1×1 Bahia – Série B do Campeonato Brasileiro (25ª rodada)

Londrina: Matheus Nogueira, Jeferson (Matheus Lucas), Saimon, Gustavo Vilar e Felipe Vieira; João Paulo, Luis Mandaca, Gegê (Gabriel Santos) e Caprini; Leandrinho (Danilo Peu) e Douglas Coutinho. Técnico: Adilson Batista.

Bahia: Danilo Fernandes, Marcinho, Ignácio, Gabriel Xavier e Matheus Bahia (Luiz Henrique); Patrick, Rezende, Mugni (Emerson Santos) e Daniel (Ricardo Goulart); Jacaré (Raí) e Davó (Rodallega). Técnico: Enderson Moreira.

Estádio: do Café, em Londrina (PR)
Gol: Matheus Davó, aos 18 minutos do 1º tempo; Gabriel Santos, aos 49 minutos do 2º tempo
Arbitragem: André Luiz de Freitas Castro, auxiliado por Leone Carvalho Rocha e Hugo Savio Xavier Correa (trio de Goiás)
Postagem Anterior Próxima Postagem