SITE TRIBUNA
SITE TRIBUNA

Crise das clínicas de diálise ameaça pacientes renais em todo o país




A Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplante (ABCDT), estará realizando na próxima quinta-feira (25), um Dia D da Diálise. A mobilização busca criar condições para a conscientização dos governantes e da socidade acerca da grave crise enfrentada pelas clínicas de diálise que prestam serviço ao Sistema Única de Saúde (SUS).

De acordo com o órgão, nos últimos seis anos, quarenta clínicas foram a falência no país devidos os repasses insuficientes realizados pelo SUS. Os valores recebidos variam, dependendo do porte da clínica, entre 36% a 49% abaixo do custo real do tratamento.

A crise financeira vivida pelas clínicas de tratamento renal de todo o País, pela falta de reajuste no repasse do SUS, teve início muito antes da aprovação do piso dos enfermeiros e da pandemia, mas esses últimos acontecimentos tornaram a situação mais crítica.

No Brasil, dos 144 mil pacientes renais, 123 mil são assistidos pelo sistema público. O país possui 842 clínicas de diálise distribuídas em apenas 7% dos municípios brasileiros, sendo que 719 são unidades privadas.

Na Bahia, estima-se que existam entre oito e dez mil pacientes renais, sendo 2.450 deles na Região Metropolitana de Salvador. Todos eles correm o risco de terem tratamentos pelo SUS interrompidos.

Segundo a Regional da Bahia da ABCDT, o reajuste da tabela do SUS não tem acompanhado a inflação oficial. Com isso, as clínicas privadas, além da perda de receita, perdem a capacidade de investimento, o que tem levado ao sucateamento dos serviços e a situação vivida pelas clínicas.

Além do reajuste da tabela do SUS, outras alternativas são apontadas pela ABCDT como coadjuvantes no enfrentamento da crise vivenciada pelo sistema: redução ou isenção do ICMS dos insumos usados nas hemodiálises; a anistia da água, que gera altos custos para o setor; e o cofinanciamento junto aos estados, realidade em algumas unidades da federação como Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina.

O Dia D da Diálise é realizado pela Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplante (ABCDT) com o apoio da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), a Associação Brasileira de Enfermagem em Nefrologia (SOBEN), a Federação Nacional de Associações de Pacientes Renais e Transplantados do Brasil (FENAPAR), a Aliança Brasileira de Apoio à Saúde Renal (Abrasrenal), a Associação Brasileira da Indústria de Soluções Parenterais – ABRASP, a Confederação Nacional de Saúde – CNSaúde e Federação Brasileira de Hospitais – FBH.

A Associação convida, através da Campanha Vidas Importam, clínicas, profissionais da área, pacientes e familiares para aderirem ao lema #adialisenaopodeparar. Maiores informações estão sendo divulgadas no Facebook e no Instagram @VidasImportam.

Fonte:agenciasertao.com
Foto:Divulgação
Postagem Anterior Próxima Postagem