SITE TRIBUNA
SITE TRIBUNA

A III Caminhada Ecológica foi marcada por chuva, visita à represa do SAAE, plantio de 30 mudas e homenagem

 


































Tudo parecia conspirar contra a III Caminhada Ecológica. Subir a Serra do Córrego Grande debaixo de muita chuva não é, e nunca será uma missão fácil, pois além da insistente e prazerosa garoa que caiu durante todo o sábado e boa parte do domingo, tem ainda as intermináveis ladeiras, que ficaram escorregadias, além da lama que nos acompanhou até o topo da serra, sem falar da pouca visibilidade.


Tirando os supostos percalços - que pouco atrapalharam - nós tivemos ‘soprando a favor’ o querer subir de Ana Gama, a coragem de Abel de Furtuoso, que desceu a serra no sábado para buscar as mudas, e a determinação da turma de Itabuna, formada por Márcia (minha cunhada) e sua super e vitaminada sogra Marize Maciel (diga-se, com 66 aninhos bem vividos) e fazendo questão em dizer que é fumante há 40 anos. ‘A mulé’ subiu a serra como uma adolescente! A turma grapiúna teve ainda o agradável, gente boa e perspicaz Fredson e a sempre sorridente Eliene, que nos deram a certeza que subiríamos e tudo daria certo.


A subida em si foi maravilhosa, sempre regada a uma deliciosa garoa que nos refrescava e lavava as nossas almas. Caminhar por dentro de uma roça de cacau ao som da água do córrego descendo e desbravando a mata, além da chuva molhando nosso rosto é uma sensação indescritível. No meio do caminho Sandoval e Geninho encontraram o nosso café da manhã: uma deliciosa jaca.


Na sequência passamos na fazenda de Val e Dantas da Ceplac, onde fomos mais uma vez bem recebidos e alguns se aventuraram e tomaram um ‘esquenta o sangue’, para em seguida nos dirigirmos até a represa do SAAE, dentro da mata fechada. Naquele momento foi possível entender o quanto essa montanha é mágica, pois ela nos abastece diariamente com o líquido mágico que promove a vida.


A subida aconteceu em um clima de paz, amizade, brincadeiras e quando vimos, já estávamos em Abel. De lá, depois de uma breve parada, seguimos para a fazenda do saudoso Pedro Gama, onde descansamos e tomamos aquele delicioso café (produzido por Ana e a ala feminina), que na verdade virou almoço.
No início da tarde nós entregamos uma placa para Ana e Vitor, homenageando o nosso saudoso amigo Pedro Gama, que nos deixou recentemente, mas esteve naquele momento, em forma de emoção, chuva e lágrimas presente no local.


Na fazenda de Ana contamos com a presença de Zezo e Gordo, que vivem ali e ajudam a cuidar da ‘nossa montanha’. Aproveitamos o momento e plantamos dois Ipês, que ganharam os nomes de Pedro e Ana.


Na sequência descemos até Abel de Furtuoso, onde plantamos 28 mudas em uma área de nascente que foi recentemente degradada. Dantas da Ceplac (engenheiro agrônomo) subiu a serra e nos orientou e preparou as mudas para o plantio, que foi feito por uma verdadeira força tarefa, composta pelo nosso amigo Abel e o seus irmãos Roberto e Rosival, sua esposa Cristiane, nossa amiga Cris, Genivaldo, Sandoval, Thiago, o Mudo e Fagner da Ambulância, que além de um grande motorista, ainda botou a mão na terra e ajudou no plantio.


Depois da missão cumprida, nós descemos a serra catando a sujeira deixada pelo ‘bicho homem’ e chegamos em casa no início da noite, cansados e satisfeitos pelo dia maravilhoso que Ele nos proporcionou. A sensação é de dever cumprido e a vontade de querer voltar.


A Nossa Turma da Caminhada que sempre muda, mas nunca desiste


Ana Gama, Vithor Gama, Dominguinhos Original, William Abreu, Sandoval, Eliene, Márcia, Marize, Fredson, Genivaldo, Arthur Barbosa, Fabinho, Ivy Farias (que mesmo subindo a Serra, arrumou um tempinho para estudar), Allemão, Cris, Thiago Menezes, Arnold Coelho e a enfermeira Natália e Fagner da Ambulância dando o suporte com a ambulância da secretaria de Saúde.


Nosso agradecimento hoje vai para:


O secretário de Agricultura Fredson Santos e o diretor de Meio Ambiente Fábio Valentin, que se colocaram a disposição e foram na UESC buscar as 100 mudas para o plantio em nosso município;


Ao meu sobrinho Alencar Jr., que me colocou em contato com o pessoal da UESC;


Ao Biólogo, Doutor em Botânica e Professor da UESC, Luiz Alberto Mattos Silva e sua equipe, formada pelo Biólogo do Herbário, Wagner Ferreira, e o responsável pelo viveiro, Delino, que acreditaram no nosso projeto de reflorestamento e doaram as mudas.


A prefeitura de Ibicaraí, através da prefeita Monalisa Tavares, que nos ofertou um delicioso café da manhã, além de água e frutas;


A Secretaria de Saúde, na pessoa de Luna Tavares, que disponibilizou uma ambulância equipada com dois excelentes profissionais (Natália e Fagner), que ficaram com a Turma até o final e terminaram participando ativamente do evento.


A Adelino Júnior, diretor do SAAE, que me recebeu e autorizou e pagou a limpeza do ramal da represa;


A Dalmário da Inove, que imprimiu a placa e as camisas em homenagem ao saudoso Pedro Gama;


A Jerry Vidraçaria, que nos presenteou com a moldura e o quadro;


A Dominguinhos Original, que correu atrás e pediu. O ‘home’ sabe pedir.
E aos amigos que me deram apoio: Sandoval, Thiago (sempre presente e prestativo) William e Lucas (que não pode subir), mas é parceiro e visitou a represa no momento da limpeza, e Cris, que diariamente nos visita na prefeitura e pergunta: Quando vamos subir?.


Turma da Caminhada, até a próxima!
Se Ele quiser...Ele sempre quer!


Arnold Coelho
Um apaixonado pela natureza
Postagem Anterior Próxima Postagem